Pinguim Tagarela | Cultura pop e nerd a uma tagarelice de distância! Star Wars: Os Últimos Jedi | Trecho do livro Phasma, playlist para leitura e informações sobre a HQ da personagem - Pinguim Tagarela
Tecnologia do Blogger.

Star Wars: Os Últimos Jedi | Trecho do livro Phasma, playlist para leitura e informações sobre a HQ da personagem

Por - 14 janeiro




Tivemos a estreia recente de Os Últimos Jedi e com ele pudemos ver um pouco mais em cena a Capitã Phasma, como foi prometido, no entanto, o filme não nos tira todas as dúvidas a respeito da personagem, por conta disso, em Setembro, foi lançado um livro denominado Star Wars: Phasma, escrito por Delilah S. Dawson e contará sobre a lacuna existente desde a infância da protagonista até a sua trajetória em se juntar a Primeira Ordem, ou seja, teremos no livro a origem da Phasma.

O livro é integrante de um projeto do Universo Expandido chamado Jornada para Star Wars: Os Últimos Jedi, um selo que reúne, como o nome mesmo diz, materiais que trarão mais sobre questões do filme que não serão abordadas por ele.

Se por um lado é bem interessante termos mais materiais do Universo Expandido e estes serem importantes para trazer uma profundidade sobre elementos da história que não terá tempo de ser abordada no filme, por outro é complicado, pois os filmes precisam contar a história de forma a englobar aqueles espectadores que não possuem conhecimento prévio - como nesse caso o livro contando a origem da Phasma. É necessário que a mídia cinematográfica, ao menos, retrate, nem que seja, brevemente sobre o aspecto que um outro material irá contar para, assim, caso o fã e/ou espectador tiver interesse de um maior aprofundamento ou quer mais detalhes vá em busca nesses materiais de apoio.
Vale lembrar que como parte do Universo Expandido de Star Wars, o livro Phasma faz então parte do Cânone. 

Trecho e playlist:


A novidade incrível é que Star Wars: Phasma teve um trecho seu divulgado pelo site oficial da franquia. Mas, antes de conferir o que diz o trecho e o que a Pinguim tem para comentar, a escritora em uma conversa com os fãs na NYCC 2017 revelou a playlist contendo as músicas que a ajudaram na hora de escrever o livro e tem mais ela disse que é perfeita para se escutar enquanto lê. Então, aperta o play...




... Agora, vamos, ao trecho, prepara o coração inquieto:

Phasma e seus guerreiros começaram a fazer os preparativos no momento em que viram a explosão no alto do espaço. À medida que os restos da nave atravessavam o céu, Phasma os rastreou com seus quadnocs, tomando bastante cuidado com a direção em que eles caíam. No mínimo, naves como esta poderiam ser saqueadas; no máximo, sempre haveria a esperança de que eles pudessem ser recuperados e conseguissem sair do planeta. Ninguém vivo tinha visto essas naves fazer qualquer coisa além de cair e bater, mas eram evidências da galáxia maior além de Parnassos, de um futuro que lhes fora negado. Foi doloroso viver em um planeta tão traiçoeiro com tantas lembranças sobre a facilidade e a tecnologia que alguma vez foram tomadas como garantidas. Pelo menos, haveria metal, tecnologia, roupas, medicamentos, alimentos e, possivelmente, blasters espalhados pelo que restava da nave. Essas foram as maiores riquezas do mundo de Phasma.

Mas eles tiveram que se apressar. Outros grupos em outros territórios também estariam vendo e se preparando para a viagem. As estrelas que caíam, como as chamavam, eram raras, e essa nave era a coisa mais brilhante que Scyre já havia visto – tão brilhante que eles tinham que proteger seus olhos enquanto se dirigiam para o planeta. Parte da nave apareceu e flutuou separadamente, movendo-se para a área onde os territórios de Scyre limitavam o clã do inimigo Claw, o que tornou ainda mais importante a pressa para fugir.

A jornada não foi fácil, assim como qualquer outra jornada em Parnassos. O território de Scyre era feito principalmente de torres de rocha negra, penhascos irregulares, saliências, cavernas e ocasionalmente piscinas feitas pela maré quando o oceano estava no seu nível mais baixo. Dentro de sua habituada sala de estar, eles mantiveram uma série de tirolesas, pontes de cordas, amarras, redes e camas suspensas, fazendo com que até mesmo o membro menos ágil de Scyre pudesse se locomover de um lugar para outro sem muitos problemas. Mas, além de sua base, ao longo da fronteira com o clã Claw (A Garra), o terreno ficou ainda mais perigoso. As pontes não eram firmes, e nunca se sabia quando um apoiador para escalar picos poderia estar enferrujado ou algum fragmento das torres de pedra poderia desmoronar do nada. Os guerreiros de Phasma tiveram sorte de que a nave caiu durante uma época de marés baixas, então eles conseguiram atravessar o terreno muito mais facilmente do que se as marés tivessem sido altas, para não mencionar que durante a maré alta, a nave poderia ter sido engolida pelo mar – ou por um monstro dentro dele.

Quando eles chegaram à linha de bandeiras que delimitavam as fronteiras entre os Scyre e a Claw (A Garra), Phasma interrompeu e puxou novamente seus quadnocs. Cinco figuras estavam sendo levadas para o planalto localizado terra abaixo. Usando as lentes, Phasma seguiu as pegadas e marcas de reboque para onde uma máquina de metal esperava, meio submersa na areia e ao lado de um enorme e amassado tecido. Era a parte da nave que surgira e flutuava suavemente para baixo. Os Scyre nunca tinham visto tanto tecido em uma peça em todas as suas vidas, e estava claro porque vários membros do clã Claw estavam lá embaixo, ocupados cortando as longas linhas que seguravam o tecido na máquina para que pudessem reivindicá-lo. A nave derrubada não estava à vista, mas longe, muito longe, através das areias e ainda mais nas pedras. Phasma rastreou a fina linha de fumaça branca que emergiu no céu, marcando o caminho rumo as verdadeiras riquezas.

Uma empolgação surgiu dos membros do clã Claw (A Garra) quando a primeira figura estranha foi levada para ficar em cima do planalto . Era um homem, e para Parnassos, ele usava roupas muito pequenas, apenas finamente tecidas, de uma suave, uniforme, preta e alta, botas brilhantes salpicadas de areia. Ele era a pessoa mais velha que o povo de Scyre já havia visto, com uma pele branca e cabelos ruivos e um pouco grisalhos nos cantos. Embora seus membros fossem esguios o suficiente, sua barriga era grande, e ele tinha olheiras em torno de seus olhos. Ele sorriu sem graça para os gritos e assobios dos integras do clã Claw, mas claramente não estava comemorando, pessoalmente.

Sem dizer uma palavra, Phasma guiou seu povo para a frente, fazendo um gesto para que eles ficassem quietos e se apressassem. Quando ficaram à beira do planalto, atrás da multidão dos Claw, tão hipnotizados que nem sequer perceberam os intrusos, Phasma e seu povo finalmente viram o milagre ocorrer.

O líder do clã Claw empurrou o homem gentilmente para o lado e se dirigiu a figura seguinte, um guerreiro vestindo uma armadura branca com uma areia cinzenta sobre um fino traje preto. Um suspiro se deu sob os membros do clã e os guerreiros de Phasma também. Essa armadura teria dado a Parnassos uma enorme vantagem sobre os elementos, e o capacete consistente parecia uma melhoria em relação às suas máscaras de couro. Mais dois soldados brancos blindados apareceram, e por fim veio um droide. Foi moldado vagamente como um humano e feito de metal preto fosco, e levou mais tempo para se locomover, devido, provavelmente, ao seu peso e sua incapacidade de escalar. O povo de Parnassos tinha visto os componentes de centenas de droides e até usado os metais deles para suas armas, mas ninguém vivo tinha visto um droide por vontade própria e segurado sua mão, como esse droide preto fez quando os membros do clã Claw tentaram tocá-lo.

O droide falou com o homem de preto com uma voz mecanizada. Era difícil ouvir no planalto, cercado de sussurros e rajadas repentinas de vento, mas o idioma parecia ser familiar e diferente ao mesmo tempo. O homem de preto respondeu para o droide, que por sua vez falou novamente, desta vez muito mais alto, sua voz projetada por algum tipo de maquinaria estranha.

“Meu nome é Brendol Hux, e tenho medo de que minha nave tenha sido derrubada por um sistema de defesa automatizado sobre seu mundo. Meu idioma é um pouco diferente do seu, então este droide traduzirá em seu dialeto mais primitivo.”

“Meu Emergency Pod pousou muito longe da minha nave. Perdi muitos do meu povo nesta horrível tragédia. Mas se você está disposto a me ajudar, posso lhe oferecer o tipo de tecnologia e suprimentos que seu mundo perdeu. Venho de uma organização poderosa conhecida como First Order (Primeira Ordem) que traz paz para a galáxia. Estou encarregado de vasculhar as estrelas pelos melhores guerreiros, para que eles possam se juntar a nossa causa. Nossos homens são bem cuidados e bem treinados. Pergunte aos meus soldados, aqui. Troopers, não é assim?”

Os três soldados de branco acenaram com a cabeça e vociferaram: “Sim, senhor!”

“Cada um desses guerreiros foi selecionado de um planeta distante e treinado para lutar pela Primeira Ordem. Se o seu povo nos ajudar a nos devolver a nossa nave, levarei qualquer um que desejar se juntar a mim e à nossa frota.. Esses soldados viverão em glória e riqueza, nunca mais sofrendo de vontades novamente. Agora, quem me ajudará?”

Os membros do clã Claw estavam de pé, mas uma nova figura apareceu ao lado de Brendol Hux, uma guerreira com uma máscara vermelha feroz.

“Eu sou Phasma, e eu sou a maior guerreira de Parnassos.” Removendo sua máscara, Phasma encarou Brendol e aguardou que o robô traduzisse. “Eu o ajudarei a encontrar sua nave”.

Nota da Pinguim e considerações: 

Bem grandinho o trecho, não? E, já podemos tirar informações interessante Phasma é uma guerrira do planeta chamado Parnassos, um lugar como vimos primitivo e crueçl. Podemos notar também que aparece um personagem chamado Brendol Hux, seu sobrenome te lembra alguém? Isso mesmo, o General (Armitage) Hux apresentado na nova trilogia de Star Wars, iniciada com O Despertar da Força. Qual seria o parentesco deles? Possível spoiler:  Brendol é pai do Armitage. Fim do Spoiler.

A leitura é bem intrigante e instigante quando terminamos de ler o trecho bate aquela vontade de continuar, não é mesmo? Pelo pouco já lido já dá para ter uma noção da escrita da autora, que é detalhada, mas de uma forma nem um pouco cansativa. A prévia de ler com a playlist também foi uma experiência, apesar de breve, bem interessante. As escolhas das músicas ajudam na ambientalizar e, com certeza, lerei o livro ao som dela. O que acharam?

Outro ponto a se considerar é de que talvez possamos saber um pouco mais sobre como funciona a Primeira Ordem, talvez conhecer um pouco melhor ela "por dentro" e talvez ter um vislumbre de como surgiu. Eu espero, ao menos.

Capa do livro
Jornada para Star Wars: Os Últimos Jedi
Star Wars: Phasma
Autora: Delilah S. Dawson
Páginas: 320
Ano: 2017
Editora: Del Rey
Idioma: Inglês
Sem tradução ainda para o Brasil
Compre: Amazon

Sinopse: Uma das oficiais mais astutas e implacáveis da Primeira Ordem, a Capitã Phasma tem o favor de seus superiores, o respeito de seus pares e representa o terror para os seus inimigos. Mas, apesar de todo esse renome, a verdadeira história de Phasma se esconde por trás de seu brilhante capacete cromado. Agora, um adversário está inclinado a desenterrar suas misteriosas origens – e expor um segredo que ela guarda com tanto zelo e de maneira tão implacável quanto serve seus mestres."

Sobre a HQ:

Os Últimos Jedi teve sua estreia e já sabíamos que a Capitã Phasma iria aparecer, no entanto, restava a dúvida com relação ao seu destino após O Despertar da Força, essa lacuna era um trabalho a ser preenchido pela LucasFilm/Disney e foi, mas se esperávamos que teríamos essa informação ao longo do filme, nos enganamos, pois o pessoal envolvido nos projetos do Universo Expandido de Star Wars, resolveu que seria melhor lançar uma HQ em parceria com a Marvel Comics. O quadrinho leva o nome de Star Wars: Captain Phasma, será dividido em 4 edições e ligará os eventos do Despertar da Força aos de Os Últimos Jedi, revelando de que forma a personagem sobreviveu a destruição da Base Starkiller. A primeira edição também foi lançada em Setembro.

Capa da HQ
Jornada para Star Wars: Os Últimos Jedi
Star Wars: Captain Phasma
Roteiro: Kelly Thomas
Ilustrações: Marco Checchetto
Páginas: 23
Ano: 2017
Editora: Marvel Comics
Idioma: Inglês
Sem tradução ainda no Brasil
Compre: Amazon

Sinopse: Com o aumento da empolgação para o lançamento de Star Wars: Os Últimos Jedi, venha conosco para ver os momentos finais de O Despertar da Força e da destruição da Base Starkiller, a fim de descobrir o destino da Captain Phasma! Capturada pela Resistência e jogada em um esmagador de lixo, seguimos esta guerreira cintilante do local onde a Primeira Ordem foi derotada até o maior blockbuster do ano! Escrita por Kelly Thompson e desenhada por Marco Checchetto, a minissérie da Captain Phasma lhe fará amar Star Wars mais uma vez!

Enfim, o Universo de Star Wars é vasto e sempre nos permite explorar cada vez mais lugares, espécies e personagens, o que é incrível demais. É importante que se tenha mais materiais porque somos fãs e adoramos conhecer mais sobre o que amamos, mas também é preciso um cuidado para que nenhuma mídia deixe a desejar quanto a informações, que elas se completem, mais do que sejam como spin off, até porque uma mídia servindo de complemento a outra é bem mais interessante de perceber a ligação.

Infelizmente tanto a HQ quanto o livro ainda não tem previsão de lançamento para o Brasil, mas para aqueles que se arriscam no inglês há sempre uma oportunidade.

Vale lembrar que os quadrinhos da Capitã Phasma estão com as ilustrações lindíssimas pelo o que deu para ver e como sabemos tão pouco sobre a origem, quem ela é, como chegou na ordem e até mesmo como conseguiu escapar da Base Starkiller em O Despertar da Força podemos encontrar essas respostas tanto nas edições da HQ quanto no livro.


Tagarelem comigo, o que acharam desse tipo de materia? Gostaram das informações? O que acharam do trecho? Vão ler os quadrinhos e o livro? Os dois ou um só? Curtiram a playlist da autora Delilah?

Bem provavelmente, teremos resenha de Star Wars: Phasma e de Star Wars: Captain Phasma, assim que eu conseguir ler. Então, fiquem de olho nas tagarelices, combinado?

Acompanha a Pinguim Tagarela intergaláctica nas redes sociais:


Até a próxima tagarelice e lembrem-se quem é vivo sempre aparece (no caso, a phasma)


Veja Também

0 Tagarelices

comentário(s) pelo facebook: