Site Loader
Sobrevivência é a palavra chave para Maze Runner: A prova de fogo. Pois, é preciso sobreviver as investidas da CRUEL, a passagem no deserto e sobretudo aos Cranks (espécie evoluída de zumbis, que correm pra caramba, isso ao meu ver, né?).  Já que vocês chegaram vivos até aqui, bora clicar em ler mais e seguir nessa aventura comigo.
Após escapar do labirinto Thomas e os garotos, pensam ter se livrado da CRUEL porém não é bem essa a situação. A realidade agora é outra: a superfície da Terra foi queimada pelo sol, eles precisam lidar com criaturas que desejam comê-los vivos, procurar por pistas sobre essa organização, isso os leva ao deserto do qual encontram inimagináveis obstáculos.
Em geral, o filme é bem interessante tendo mais pontos positivos do que negativos. Trazendo uma dinâmica um pouco mais diferente do que o primeiro filme, passando a ter a ação juntamente com uma sucessão de fatos surpreendentes. Não é apenas uma distopia e nessa continuação somos introduzidos a um mundo um tanto pós apocalíptico também. E temos novos elementos, alguém que podemos chamar de vilão, e novos desafios. Para sobreviver, é preciso tomar decisões e fazer escolhas certas, é bem presente durante a história essas decisões levando a resultados e consequências.
Possui cenas de ação realmente muito boas (aquelas do tipo que você fica UAU, pelo menos eu fiquei), os efeitos especiais foram muito bem trabalhados. A  pinguim que por aqui vos fala, acha um máximo cenas envolvendo armas, lutas e coisas do gênero. E teve um prato cheio disso para se alegrar em A prova de fogo. Mas, confesso que senti falta de alguns pontos chaves para a história como uma ligação de um filme para o outro, era preciso trazer algumas explicações que não foram explicadas e se foram não souberam apresentar de maneira que fosse captada com clareza. Poderiam ter abordado muitos assuntos que até mesmo nesse filme, apenas foi pincelado de breve. Gostaria que tivessem mais obstáculos para eles no deserto, mais dificuldades.
Mas, como citado anteriormente, o filme não decepciona. É empolgante, desperta interesse e faz com que esperemos ansiosamente pelo próximo. O mistério se faz presente na mesma proporção que Correr ou morrer. E o seu final já encaminha e nos revela o que virá a seguir para a aventura seguinte. Conhecemos assim um pouco mais sobre a CRUEL, somos conduzidos a sentir uma revolta (de leve, para alguns o que não é meu caso) e até uma vontade de querer unir-se com Thomas e os garotos a fim de ajudá-los nesse embate com a CRUEL, afinal o nome já diz tudo né? Ou não, fique na dúvida. Na verdade, recomendo que assista logo, o quanto antes puder. Não irão se arrepender, principalmente se você como a tagarela aqui, é fascinado pelo cenário apocalíptico, com elementos de ficção cientifica, ação e um pouco de armas. 
Enfim, diz a lenda que os tagarelas que até aqui chegaram, serão imunes aos Cranks (brincadeiras a parte), chegou o momento de dizer quantas pipocas A prova de fogo leva para casa e são:
(4 popcorns)
Tagarelem comigo, se você leu o livro e já viu o filme conte-me se a adaptação foi fiel. Se você não viu e aí quer ver? Gostaram desse post? Comente e espalhem essa tagarelice compartilhando também.
Até a próxima tagarelice!

Diovana Vargas

6 Replies to “Maze Runner a prova de fogo | Bem vindo a uma realidade mais CRUEL”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *